MERCEDES-BENZ EQC

15 de Dezembro de 2019

O PRIMEIRO PASSO PARA O FUTURO – O EQC é o primeiro automóvel da marca EQ e o primeiro Mercedes-Benz totalmente desenvolvido para funcionar exclusivamente a eletricidade. Conta com dois motores, mais de 400 cavalos e uma autonomia próxima dos 420 quilómetros. Foi há pouco mais de um ano que a Mercedes organizou um evento em Estugarda, muito relacionado com o design, com o objetivo de nos explicar as quatro principais diretrizes da sua gama em termos estilísticos. Os modelos mais clássicos iam continuar a chamar-se Mercedes-Benz, os mais luxuosos passavam a ser designados por Mercedes-Maybach, os mais desportivos nunca iriam dispensar as três letras mágicas da Mercedes-AMG e a sua nova quarta família de modelos, totalmente focada no futuro e na eletrificação, iria estrear a designação Mercedes-EQ. E é justamente nesta última família de modelos que nos vamos focar, até porque acaba de chegar ao mercado o primeiro modelo da marca da estrela, totalmente desenvolvido para ser locomovido exclusivamente a eletricidade, o EQC. Num momento em que a eletrificação é uma das receitas mais simples na missão de baixar consideravelmente as emissões poluentes provocadas pelo mundo automóvel (ainda que não sejam estes os principais causadores do problema), os construtores continuam focados em afinar a sua estratégia, apostando em novas soluções destinadas a este mundo. No caso da Mercedes-Benz, a sua família de modelos que conta com a eletricidade para dar uma ajuda chama-se EQ e já é possível ver esta sigla nos seus modelos híbridos, por exemplo. Mas agora, é o momento de dar as boas-vindas ao EQC, o primeiro modelo totalmente elétrico da marca deEstugarda e da família EQ. 

Visual moderno e futurista – Visualmente, conta com um desenho muito aproximado ao de um SUV, uma vez que esta é uma receita de sucesso, mas também porque assim se torna mais fácil encaixar componentes de dimensões generosas, como os conjuntos de baterias destinados a alimentar o sistema elétrico. Na componente da estética destaca-se por incluir superfícies mais suaves e traços menos vincados, mas também sistemas de iluminação mais desenvolvidos que contribuem para dar a este EQC um visual mais moderno e futurista, ainda que não se afaste consideravelmente da realidade que já conhecemos. As luzes de condução diurna, por exemplo, estão integradas nos grupos óticos dianteiros, mas também incluem uma faixa por cima da grelha dianteira e que fica a ligar as duas óticas, criando um efeito visual bem mais moderno. Ainda na frente, a enorme grelha dianteira prolonga-se até às óticas, colocadas mais acima e quase nos extremos da carroçaria, mas que não dispensam uma enorme faixa cromada que forma o desenho da habitual grelha frontal e dá uma ajuda na integração deste modelo com o resto da família Mercedes-Benz. Alguns elementos de cor mais azulada remetem este novo SUV para as versões EQ da marca de Estugarda e estão presentes nas óticas, mas também nas jantes e até na tampa plástica existente debaixo do capot, além de o podermos descobrir igualmente em diversos outros detalhes. Na secção traseira, o sistema de iluminação inclui uma enorme faixa de LED, que também se estende por toda a largura do EQC. Oferece uma assinatura visual única, mas, tal como na frente, projeta este modelo para o futuro próximo que a marca nos quer mostrar e do qual já parece fazer parte com este seu novo modelo. 

Novidades a bordo – A bordo do novo Mercedes-Benz EQC, as diferenças em relação aos outros modelos da marca já não são assim tão óbvias, uma vez que também não se deseja romper totalmente com a sua linguagem de design. No entanto, é possível encontrar o logo EQ em diversos dos menus do sistema e o tom azul nos elementos que decoram o habitáculo. As grelhas das saídas da ventilação contam com um tom cobreado que destacam este EQC da restante oferta da marca, e continuam presentes extras como o sempre desejado sistema de som da Burmester, o sistema de navegação mais completo com atualizações “over the air”, bem como uma nova coleção de acessórios da marca produzidos especificamente para este modelo. Para quem vai ao volante, o novo EQC é inequivocamente um Mercedes-Benz e há também diversos elementos que nos são familiares, como a consola central de comando tátil ou a possibilidade de dizer apenas “Hey, Mercedes” para despertar o assistente pessoal integrado do sistema de infoentretenimento. Aliás, é justamente através deste sistema que o novo EQC também nos mostra que está totalmente ligado ao mundo, garantindo as informações de trânsito mais atualizadas, bem como as da meteorologia ou aquelas que nos fazem conhecer melhor o nosso destino antes mesmo de lá chegar. E caso esteja confortavelmente sentado no sofá de casa, as capacidades de conectividade do EQC permitem-lhe programar toda a viagem antes de se levantar, usando a aplicação da marca que poderá ter instalada no telefone. E é também através desta mesma aplicação que poderá verificar se o EQC já tem a bateria carregada, ou definir a hora para que deve estar pronto para sair, mas também verificar se está trancado, com os vidros fechados e qual a autonomia disponível, entre tantas outras funções. 

O sistema elétrico do novo EQC  – E já que falamos em carregamento, está mais do que no momento certo de lhe dizermos como funciona o sistema elétrico do EQC. O sistema de baterias de lítio deste modelo está instalado entre os dois eixos, numa zona imediatamente abaixo do habitáculo e tem uma capacidade de 80 kWh, uma voltagem máxima de 405 Volts e uma capacidade nominal de 230 Ah. É composto por seis módulos de células, dois de 48 unidades e quatro com 72 unidades cada e é totalmente refrigerado a líquido, uma que vez que esta opção permite um melhor controlo da temperatura. O sistema elétrico do novo EQC permite um carregamento rápido DC, mas também o mais tradicional AC que tem disponível em qualquer tomada doméstica. Numa Wallbox de 7,4 kW, por exemplo, o tempo de carga (entre os 10 e os 100 por cento) poderá demorar qualquer coisa como 11 horas, mas num carregador rápido com 300A, poderá ver a carga das baterias passar dos 10 aos 80 por cento em pouco mais de 40 minutos. E com a carga da bateria completa, o EQC oferece uma autonomia máxima acima dos 400 km, que é mais do que suficiente para a rotina diária da maioria dos condutores e para as aventuras de família de uma fatia considerável de todos estes. Além disso, a Mercedes-Benz é uma das marcas parceiras da rede Ionity, que até ao ano 2020 tem previsto ter em funcionamento mais de 400 pontos de carregamento rápido na Europa. E através do serviço Mercedes me Charge, o cliente da marca alemã poderá ter acesso a mais de 300 mil pontos de carga apenas no continente europeu, sendo que todos eles estão disponíveis no sistema de navegação do EQC, caso queira partir sem rumo, à aventura por essa Europa fora e não ficar sem energia para prosseguir viagem. Além de estar instalado entre os dois eixos do Mercedes-Benz EQC, o sistema de baterias deste modelo está também posicionado numa da zona da carroçaria bastante baixa e central, contribuindo para um centro de gravidade mais baixo e, por isso, para melhores prestações em curva e uma estabilidade bem mais elevada. Este ponto é ainda mais interessante se lhe dissermos que as duas motorizações elétricas do EQC, uma em cada eixo, conseguem uma potência máxima do sistema acima dos 400 cv e um binário máximo de 760Nm. E com um motor a funcionar em cada eixo e uma gestão eletrónica bastante avançada, o novo EQC também consegue um desempenho semelhante ao de um modelo de tração integral, uma vez que conta com quatro rodas motrizes. 

Modos de condução disponíveis  – Os modos de condução disponíveis (Comfort, Eco, Max Range, Sport e Individual) permitem alternar entre uma forma de condução mais tradicional e uma mais desportiva e com uma maior resposta do sistema, mas também por aquela que nos motiva a tentaaproveitar todo e qualquer metro percorrido para regenerar o máximo de energia quando conduzimos com o objetivo de prolongar ao máximo a autonomia deste modelo. Para quem vai ao volante, poderá ser um pouco estranho encontrar umas hastes atrás do volante muito parecidas com aquelas que usamos para as passagens de relação numa convencional caixa de velocidades automática, até porque no EQC apenas está presente uma única relação entre os motores e as rodas. Mas neste caso, as hastes servem para ir ajustando o nível de recuperação de energia do sistema elétrico que, no mais exigente, poderá mesmo fazer com que se dispense o pedal do travão, tal a força de recuperação com que o sistema atua na unidade motriz do EQC. Cada uma destas unidades motrizes conta com um tamanho bastante compacto e com a capacidade de integrar funções como a vectorização de binário, o que também contribui para um prazer de condução mais elevado. O motor dianteiro está vocacionado para uma utilização mais convencional entre cidade e autoestrada, por exemplo, enquanto que o traseiro está afinado para quando desejamos adotar um modo de condução mais desportivo e precisamos de uma dose de agilidade extra para as 2,5 toneladas deste modelo. 

Ficha técnica em números – Se olharmos para alguns dos números da ficha técnica do Mercedes-Benz EQC podemos descobrir uma velocidade máxima de 180 km/h – que parece pouco face a outros modelos da marca, mas que até é bastante elevada para um modelo elétrico em que queremos preservar o máximo de autonomia – e uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em apenas 5,1 segundos. Num modelo com 2,5 toneladas de peso e que pode transportar a família a bordo com uma enorme dose de espaço e conforto. As primeiras unidades do Mercedes-Benz EQC já se encontram em solo nacional, sendo que a primeira delas foi entregue por Pierre-Emmanuel Chartier, CEO da marca em PortugalGarrett McNamara, um dos embaixadores da Mercedes no nosso país e que já tanto contribuiu para causas relacionadas com o ambiente. Para já, está disponível apenas uma versão do novo EQCsendo que o seu preço de venda ao público é de 78.450 euros. No entanto, a Mercedes-Benz já anunciou que no próximo ano vai trazer uma versão mais acessível para o mercado com a designação EQC 350. O primeiro passo rumo ao futuro está dado e o primeiro automóvel totalmente elétrico da Mercedes-Benz já se encontra nas estradas. Até ao ano 2022, no entanto, a Mercedes-Benz vai contar com cerca de 130 versões eletrificadas nas suas mais variadas gamas, entre híbridos plug-in, modelos de 48V e versões de motorização totalmente elétricas. Além de todos estes, aceitam-se apostas sobre qual poderá ser o próximo grande passo da marca, mas se olharmos para o que a Mercedes-Benz anda a explorar, somos obrigados a colocar as nossas fichas nos sistemas de célula de combustível que já andam em fase de testes. Resta aguardar… 



Categoria: Sem categoria

Bem vindo à Frontline

Iniciar sessão

Esqueceu-se da senha?

Criar Registo Neste Site

captcha image