LUÍS ABRANTES

“O FUTURO DA GENERIS PASSA POR MANTER O SEU COMPROMISSO COM AS FAMÍLIAS E OS PACIENTES PORTUGUESES” – Luís Abrantes, o novo CEO e Administrador Delegado da Generis Grupo Aurobindo, falou, em entrevista à revista FRONTLINE, dos grandes objetivos da farmacêutica para o futuro, bem como do seu posicionamento atual no mercado nacional. Com mais de 1400 referências no mercado, a Generis está, atualmente, presente em praticamente todas as áreas terapêuticas.

QUAIS SÃO, NESTE MOMENTO, OS SEUS PRINCIPAIS DESAFIOS? O QUE O LEVOU A ACEITAR ESTE CARGO?

A Generis é uma marca incontornável e uma referência na indústria farmacêutica em Portugal. Ainda que hoje faça parte do grupo Aurobindo, a Generis não deixa de ser uma marca em que os portugueses confiam e que consideram sua. Foi com grande entusiasmo que aceitei este convite, que representa essencialmente um desafio. Acredito que com a minha experiência posso aportar valor ao negócio, numa perspetiva de consolidação e de crescimento.A Generis é um player crítico para o Serviço Nacional de Saúde, sendo o seu maior fornecedor em unidades. Acredito que o futuro da Generis passa por manter o seu compro-misso, para com as famílias e os pacientes portugueses. Esta postura deve conduzir-nos a uma posição cimeira no mercado, quer em volume quer em valor de vendas. São estes os nossos grandes objetivos.

NA SUA OPINIÃO O ESTIGMA PELOS MEDICAMENTOS GENÉRICOS AINDA EXISTE EM PORTUGAL?

De forma alguma. Prova disso é o facto de que a Generis é o laboratório que mais pacientes trata em Portugal, quer no mercado ambulatório (farmácias), quer no mercado hospitalar. A presença dos genéricos na oferta de medicamentos em Portugal representa, em número de unidades, uma taxa de 39% em 2017, no mercado global de medicamentos, sendo cerca de 50% se consideramos o fornecimento do SNS.Esta penetração tem estado relativamente estável nos últimos 10 anos. Os portugueses acreditam nos medicamentos genéricos e é com orgulho que digo que a marca Generis tem uma grande quota-parte de responsabilidade por esse facto.Acredito que não existem hoje, na mente dos consumidores portugueses, dúvidas quanto à qualidade dos medicamentos genéricos colocados à venda nas farmácias ou disponibilizados nos hospitais.No desenvolvimento dos medicamentos genéricos estão sempre asseguradas to-das as garantias de qualidade, segurança e eficácia, tal como nos medicamentos inovadores que lhes deram origem – os critérios de bioequivalência e biodisponibilidade estão devidamente regulados pelas autoridades e são objeto de escrutínio por parte do Regulador (Infarmed) de for-ma regular e recorrente.

QUAL É A TAXA DE PREFERÊNCIA, ANUAL, POR MEDICAMENTOS GENÉRICOS FACE AOS OUTROS?

No mercado global, cerca de 40% em número de embalagens (fonte: Infarmed).

NESTE MOMENTO A GENERIS JÁ GARANTE MEDICAMENTOS GENÉRICOS PARA TODAS AS ÁREAS TERAPÊUTICAS?

A Generis tem no mercado mais de 1400 referências e está presente em praticamente todas as áreas, estando desta forma, em 96% dos grupos homogéneos existentes.

VAI ENCONTRAR-SE UMA VACINA PARA COVID-19? SÃO ALGUMAS AS VOZES QUE SE OUVEM E INDICAM QUE, ATÉ AO FINAL DESTE ANO, TEREMOS UMA VACINA, CONCORDA? SERÁ SEGURA?

São mais de 35 as empresas farmacêuticas e universidades na corrida para conseguir desenvolver uma vacina eficaz que previna a infeção pelo novo coronavírus e a propagação da doença. O grupo Aurobindo, ao qual pertence a Generis, está também nesta corrida, pelo que até final de 2020 estarão em curso os ensaios clínicos de Fase I e II. Há muitos mais esforços do que desenvolvimentos regulares, que acredito que se forem conciliados, poderão trazer uma resposta mais rápida. A colocação de um novo medicamento ou vacina no mercado é sujeita a uma série de obrigações de ensaios que devem ser respeitadas para que não se cometam erros irreversíveis que podem comprometer a saúde das pessoas e a credibilidade das instituições.Acredito que se estão a desenvolver os esforços possíveis, mas temos de respeitar os timingsde segurança. Espero que se consiga a vacina no mais breve espaço de tempo possível.

QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS PROJETOS DA FARMACÊUTICA PARA O FUTURO

Sem querer desvendar ainda muito, poderei apenas adiantar que a importância da Generis no mercado português e mesmo no contexto europeu vai, a curto prazo, sofrer um impulso significativo. É um projeto que se encontra numa fase já bastante madura de desenvolvimento, mas que só em devido tempo iremos tornar público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *