GERMANO DE SOUSA

O FUTURO DIGITAL DA SAÚDE JÁ COMEÇOU – Graças ao desenvolvimento tecnológico, a medicina tem evoluído de forma muito rápida e com resultados muito positivos, possibilitando o aumento da longevidade e uma melhoria da qualidade de vida do doente. 

A tecnologia tem sido uma aliada crucial na elevada sensibilidade e especificidade de diagnóstico atual e está na origem da mudança no paradigma do diagnóstico, terapêutica e dos cuidados de saúde. Já conseguimos alcançar uma medicina de precisão, uma medicina claramente personalizada e centrada unicamente no doente, ou seja toda uma monitorização dirigida ao doente. O desenvolvimento tecnológico tem permitido também a construção de uma comunidade de interajuda e de partilha de informação, sobretudo em casos de doença crónica. O futuro digital da saúde já começou.

NOVO PARADIGMA DA MEDICINA

A área da Medicina Molecular é o novo paradigma da medicina, tornando possível a prevenção, diagnóstico e terapêutica de uma doença específica tendo como base o perfil genético individual. É uma medicina de precisão e personalizada, baseada na informação clínica, genética e ambiental de cada paciente, e os novos métodos de análises moleculares permitem prevenir, diagnosticar e melhorar o estado da doença. Esta área tem tido uma evolução notável, essencialmente com o aparecimento de novos marcadores na área da oncologia que permitem o diagnóstico e terapêutica precisa em cada situação clínica. Através da sequenciação do genoma do tecido tumoral já é possível encontrar determinadas alterações moleculares que indicam qual o melhor tratamento a seguir. As mais recentes técnicas de biologia molecular beneficiam também a genómica ao permitir editar os genes e construir ferramentas capazes de refazer zonas imperfeitas do código genético criando a sequência correta. A substituição de um gene com mutação por uma cópia saudável é já realizada em casos clínicos de Imunodeficiência severa combinada, Hemofilia, Retinite pigmentosa e Leucemia mielóide aguda.

O DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E DE INVESTIGAÇÃO

Com a aposta no desenvolvimento tecnológico e de investigação, o Grupo Germano de Sousa foi pioneiro em Portugal na realização da Biópsia Líquida, mediante a qual numa amostra de sangue periférico é possível separar e identificar o ADN tumoral que circula livremente no sangue, sequenciando esse ADN, de modo a diagnosticar a existência de metástases ou mesmo neoplasias ainda não diagnosticadas pelos métodos habituais. Esta metodologia de diagnóstico tem vindo a ser utilizada no despiste de carcinomas e atualmente é já um método estabelecido. A Oncogenómica será o futuro da Patologia Clínica através da Patologia Molecular e da Genética Laboratorial, que abre cada vez mais o leque às capacidades de diagnóstico. As técnicas de biologia molecular ao decifrar o genoma humano permitem assim perceber quais as alterações genómicas que estão na origem de uma doença hereditária, determinar a presença de uma condição genética sem sintomas óbvios e até mesmo criar o perfil genómico do doente e saber como irá reagir a um determinado medicamento ou alimentos.

A Farmacogenómica combina as ciências farmacêuticas tradicionais com o conhecimento dos genes e proteínas e permite determinar uma resposta negativa ou positiva do organismo a determinados medicamentos. Este teste, se implementado no SNS, representaria um grande passo, porque permitiria criar uma pequena ficha em que pelo estudo do perfil genómico do doente se evitasse administrar medicamentos que não irão surtir efeito. A Nutrigenómica e Nutrigenética estudam a forma como diferentes alimentos podem interagir com genes específicos aumentando ou diminuindo o risco de desenvolvimento de doenças crónicas comuns como a diabetes tipo 2, obesidade, cardiopatias, AVC e alguns carcinomas. Outra das evoluções está na Imunopatologia, onde começamos a descobrir que cada vez mais inúmeras doenças têm uma etiologia de autoagressão, como é o caso das doenças neurológicas que se verifica serem em grande parte de origem imunológica.

TECNOLOGIA 5G e IoMT

A chegada da tecnologia 5G e a Internet of Medical Things (IoMT) vem ainda possibilitar a criação de uma infraestrutura conectada de dispositivos médicos, aplicativos de softwaree sistemas, bem como serviços de saúde que conduzirão a uma telemedicina e telemonitorização da saúde, ou seja, realização de teleconsultas, aplicações personalizadas às quais o paciente fica ligado (através de telemóvel), sendo possível a monitorização remota da terapêutica, permitindo assim o ajuste da mesma, em função dos parâmetros que vai medindo e dos resultados. Tudo isto irá melhorar a velocidade e a precisão do diagnóstico, uma gestão proactiva e preditiva dos cuidados de saúde e risco de doença de cada um, bem como terapêuticas precisas e personalizadas. Sem dúvida uma transformação do atendimento dos cuidados primários. A tecnologia 5G irá também alimentar ferramentas de cirurgia robótica que eliminam a distância entre médicos e doentes, impulsionando a telecirurgia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.