PROENÇA-A-NOVA

AS QUATRO PEÇAS DA ROTA ESPORO QUE foram implementadas no concelho de Proença-a-Nova receberam visitas orientadas, a 16 de outubro, pela mão de Lara Seixo Rodrigues, dando por concluído este projeto supramunicipal que envolveu ainda os municípios de Figueiró dos Vinhos e Ansião, num projeto financiado a 100 por cento pelo Centro 2020, Portugal2020 e Feder, sem custos para os municípios envolvidos. Cabeço dos Três Marcos, Miradouro das Corgas, Padrão e Ribeira do Vale de Água (entre as aldeias do Vale de Água e do Pergulho) são os locais onde podem ser encontradas as obras de arte, todas implementadas em locais improváveis. “O que a cultura nos pode trazer enquanto desenvolvimento, mas também do ponto de vista da sociedade, é um vetor principal de crescimento e de conhecimento”, afirmou na ocasião João Lobo, presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova.

“A cultura transporta-nos normalmente para aquilo que é belo, faz-nos sair de dentro de nós e transmitir aos outros coisas que eventualmente nós quotidianamente não conseguimos transmitir: tem essa grandeza. Mas isto em locais que normalmente não seriam prováveis para implantar esculturas”. O autarca incentiva agora a que as populações mais próximas destas obras de arte possam ser suas embaixadoras, de forma a potenciar a sua visitação – cumprindo-se o objetivo do projeto -, ao mesmo tempo que convidou a que conheçam as peças colocadas nos outros pontos do concelho e nos outros municípios que compõem a Rota Esporo. João Lobo destacou a vertente intermunicipal deste projeto e a necessidade de os territórios se unirem em redes para potenciar o seu desenvolvimento, neste caso a partir da arte.

Lara Seixo Rodrigues, curadora e coordenadora do projeto, referiu que esta iniciativa estava para ser realizada em julho, tendo sido adiada devido ao impedimento de realizar atividades na floresta considerando o risco muito elevado de incêndios florestais. “A Rota Esporo apresenta-se como o resultado do trabalho realizado ao longo de 8 meses por uma dezena de artistas nacionais e internacionais que, de acordo com as suas preocupações, abordagens conceptuais e com a sua estética, desenvolveram 12 intervenções / instalações site specific, em diversos formatos, medias e temporalidades, nesses lugares singulares onde a natureza prevalece”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.