PALÁCIO SCHINDLER

 

LUXUOSO EMPREENDIMENTO – Viver e respirar Lisboa. O Palácio Schindler é um empreendimento situado numa zona exclusiva junto ao rio, no Bairro da Lapa. Mantendo a antiga fachada, este edifício, que em tempos foi um belíssimo convento, será remodelado incorporando as mais recentes técnicas de construção, usufruindo assim do charme tradicional aliado à qualidade que os tempos modernos exigem. Composto por 14 apartamentos, garagens, fantásticos jardins, entradas apalaçadas, este empreendimento será construído com a maior atenção ao detalhe. Disponibilizando tipologias de Studio a T4 duplex e com áreas compreendidas de 50 m2 a 292 m2, os apartamentos serão preservados mantendo as suas emblemáticas características, como pés-direitos altos, afrescos, tetos trabalhados e soalhos antigos, conjugando, assim, conforto e contemporaneidade. 

 

Palácio que foi convento A 30 de novembro de 1833, meses antes da supressão do Convento de São Francisco de Paula, o Ministério da Guerra solicita a cedência deste edifício para aí instalar a repartição do Comissariado do Exército, pedido autorizado. Cerca de um ano depois da tomada de posse de todas as propriedades do convento por parte da Fazenda Nacional, a 21 de julho de 1835 cinco delas (de entre os quais a totalidade dos lotes a nascente da igreja) são arrematadas por diferentes compradores, tendo o edifício do noviciado sido adquirido por João de Deus da Cunha por oito contos e duzentos mil réis. Nos anos subsequentes, a posse da totalidade dos três lotes a nascente da igreja passam para o mesmo proprietário, visto que a 30 de abril de 1861 deu entrada na Câmara Municipal da cidade um “prospecto de accrescentamento do antigo edifício do noviciado, aprovado a 13 de maio seguinte. Este pedido foi submetido por “Maria Livia Ferrari Schindler authorizada por seu marido Gaspar Schindler, duas distintas figuras da sociedade portuguesa coeva: Maria Lívia (1828-1910) era descendente de Francisco Ferrari, grande capitalista italiano; Gaspar Schindler (1821-1901) dedicou grande parte da sua vida à diplomacia, tendo sido cônsul e agente comercial do grão-ducado alemão de Mecklemburgo-Schwerin em Lisboa. Na sequência do regicídio de fevereiro de 1908 passaram a viver no palácio a segunda filha do casal, Maria Lívia Ferrari Schindler (1858-1950) e o seu marido João Franco (1855-1929), um dos principais políticos dos derradeiros anos do reinado de D. Carlos e que aí residiu no decorrer das últimas duas décadas da sua vida, constituindo-se assim como uma das mais notáveis figuras a habitarem o Palácio Schindler, como então era conhecido. 

Contactos: Pedro Leal | Sales Consultant; pedro@irglux.com; Tlm.: +351 912 437 770

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *