MOSTEIRO DE ANCEDE CENTRO CULTURAL

50 ARTISTAS QUE VIVERAM O 25 DE ABRIL: MACC Baião apresenta exposição com obras inéditas para falar da REVOLUÇÃO

Entre 20 de Abril e 30 de Setembro, o Mosteiro de Ancede Centro Cultural (MACC), em Baião, acolhe a exposição “25 de Abril: 50 anos/50 artistas/50 obras”, reunindo autores de referência na pintura portuguesa que marcaram o modernismo, o neo-realismo e a arte contemporânea, e que viveram a Revolução dos Cravos na primeira pessoa.

Com curadoria de Cabral Pinto, a exposição reúne nomes como Álvaro Lapa, Albuquerque Mendes, Ângelo de Sousa, António Charrua, António Costa Pinheiro, António Cruz, António Dacosta, António Palolo, António Sampaio, Armanda Passos, Armando Alves, Artur Bual, Cabral Pinto, Carlos Botelho, Carlos Carreiro, Cruzeiro Seixas, Dórdio Gomes, Eduardo Nery, Fernando Lanhas, Gerardo Burmester, Graça Morais, Helena Abreu, Helena Almeida, Jaime Isidoro, Joana Vasconcelos, João Cutileiro, José de Guimarães, José Escada, José Pedro Croft, José Rodrigues, Julião Sarmento, Júlio Pomar, Júlio Resende, Lourdes Castro, Luísa Correia Pereira, Maluda, Manuel Cargaleiro, Marcelino Vespeira, Mário Césariny, Nadir Afonso, Nikias Skapinakis, Noronha da Costa, Paula Rego, Paulo Ossião, Pedro Cabrita Reis, Pedro Calapez, René Bertholo, Sobral Centeno, Sofia Areal e Vieira da Silva para traçar um percurso desde o Naturalismo tardio até à arte contemporânea da actualidade, passando pelo modernismo, numa homenagem aos 50 anos do 25 de Abril e à sua contemporaneidade.

Para Cabral Pinto, “mais do que uma homenagem ao 25 de Abril e ao que representou para a sociedade portuguesa, esta exposição é uma mostra da forte repercussão que a Revolução teve na cultura, de uma forma geral, e na pintura portuguesa em particular, ao mesmo tempo que serve de mote para recordar as implicações negativas na vida e na obra de muitos dos autores que, à data,não poderiam mostrar estes trabalhos e que tiveram, inclusive, de abandonar Portugal, nunca deixando de contribuir para que a Revolução fosse uma realidade, que ficou registada também através das suas obras”, refere.

“Na sequência do sucesso que tem sido a programação cultural e artística do renovado MACC-Baião, o Município avança com uma exposição alusiva aos 50 anos do 25 de Abril que este ano se comemoram, apostando numa visão colectiva da Liberdade artística.

Os 50 trabalhos expostos integram colecções particulares ou institucionais assumindo, em alguns casos, uma estreia junto do grande público. A nossa missão é permitir que Baião e quem nos visita conheça obras de referência e contacte com a História que nos marca como portugueses e que reclama o lugar destes artistas enquanto intérpretes de uma Revolução que também se fez através da arte”, destaca Paulo Pereira, Presidente da Câmara Municipal de Baião.

A exposição “25 de Abril: 50 anos/50 artistas/50 obras” pode ser visitada diariamente no MACC Baião, entre as 10 e as 18 horas. O bilhete tem um preço de 5€ por pessoa.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *