ARMANDA PASSOS

CENTRO DE EXPOSIÇÕES da FUNDAÇÃO CHAMPALIMAUD na primeira retrospetiva da sua obra.

A exposição abriu ao público dia 16 de novembro e decorre até 31 de dezembro de 2022, tendo como curadora Fabíola Passos, filha da artista. Foi também editado um livro retrospetivo que acompanha a exposição e contém o texto “Uma imaginação poderosa”, assinado pela catedrática Raquel Henriques da Silva.

Estão expostos 80 óleos de grande importância, pertença de coleções públicas e privadas, que só agora, após o desaparecimento da pintora, têm visibilidade pública e nos dão a conhecer o processo criativo, intenso e inventivo, daquela que foi uma autêntica artista, solitária, alheia a modas, uma poderosa criadora. Da sua vasta obra, foram agora reveladas telas, a maioria guardadas em acervo no seu espólio e que se apresentam em dípticos e trípticos, que nascem uns dos outros em polípticos, formando painéis com metros e metros de corpos em anatomias de mãos e pés portentosos. Cada quadro torna-se tão identificável que dispensaria assinatura.

VOZ ÀS MULHERES

Armanda Passos foi uma pintora portuguesa que, a partir da sua arte, quis dar voz às mulheres e que ao longo da sua carreira retratou a importância da mulher no mundo das artes. Licenciou-se na Escola Superior de Belas Artes do Porto e expôs as suas obras a partir de 1976. Durante toda a sua vida artística teve obras suas expostas em coleções em vários países do mundo, como Espanha, Bélgica, França, Alemanha, Suíça, Inglaterra, Luxemburgo, Itália, Turquia e Estados Unidos. Morreu a 19 de outubro de 2021, aos 77 anos. A maioria das pinturas desta exposição são parte de coleções institucionais e de privados, como Mário Cláudio, David Mourão-Ferreira, Álvaro Siza, Miguel Cadilhe, António Barreto, Maria Barroso-Mário Soares, Centro de Arte Moderna – Fundação Calouste Gulbenkian, Coleção de Arte Contemporânea do Estado, Fundação do Oriente, Fundação Millennium BCP, Museu Amadeo Souza-Cardoso, Coleção Berardo, Universidade do Porto, Tribunal de Contas,Tribunal Constitucional, Procuradoria-Geral da República e Fundação Champalimaud.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *