TRIBUNAL DE CONTOS

ALMEDINA

COLETÂNEA JURISPRUDÊNCIA – Aqui, nesta obra, são dezasseis os Contos chamados a julgar os juízes e as juízas que lhes deram vida. Estes e estas sofrem a expectativa da decisão, compreendem, agora deste lado, o justo e o injusto das avaliações alheias, impulsiona-os o direito, que hão-de sentir, à reclamação ou ao recurso que lhes são aqui negados. Vivem, na própria pele, a vitimização de quem se sabe na dependência inelutável de outrem. E aprendem. Aprendem tudo. Até mesmo o absurdo que, não raro, lhes vem visitar o dia-a-dia quando juízes.” In prefácio, Álvaro Laborinho Lúcio 

Uma obra curiosa que mostra um outro lado dos magistrados. O seu segmento alvo os magistrados e público em geral. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.