HYUNDAI VELOSTER

6 de Dezembro de 2011

INSPIRADO NA NATUREZA

A Hyundai introduziu no mercado português o espectacular Veloster, oferecendo inovação ao segmento dos coupés compactos com a configuração 1+2 portas e permitindo uma maior acessibilidade aos lugares traseiros. Revelado pela primeira vez na Europa, no Salão de Genebra de 2011, o Veloster é o exemplo perfeito da nova assinatura da marca: “New Thinking. New Possibilities.” O novo modelo representa a natural progressão da inovadora e singular linguagem de estilo da Hyundai, “fluidic sculpture”. O seu ADN é reconhecível nas linhas fluentes inspiradas na Natureza, que se combinam para criar uma forma baseada em proporções fortes e uma sensação de movimento e equilíbrio. Por isso, o desenho do Veloster não só oferece atracção emocional, mas a sua base aerodinâmica assegura um perfil exterior suave, que reduz o consumo de combustível. As linhas do modelo são fortes e dinâmicas, com formas robustas e pormenores cuidados. A grelha hexagonal e o audacioso desenho dos faróis expressam progresso e modernidade. Enquanto a configuração das portas 1+2 maximiza a funcionalidade, o perfil esguio do Veloster exala uma alma de desportivo com um estilo diferente de tudo aquilo que existe em termos de coupés e hatchbacks. Apesar do estilo coupé (altura de 1,40 metros), um arranjo interior inteligente permite que o modelo ofereça um habitáculo e uma bagageira no topo da oferta do segmento. No Veloster, que apresenta um comprimento total de 4,22 metros e uma distância entre eixos de 2,65 metros, os engenheiros da Hyundai esculpiram o interior para fornecer um espaço generoso para a cabeça, à frente (990 mm), para as pernas (1114 mm) e para os ombros (1412 mm), permitindo assim um maior conforto. A capacidade da bagageira é de 320 litros (VDA) ou 440 litros (SAE). O interior está desenhado para satisfazer as exigências dos compradores mais jovens. A inclusão do rebatimento 60:40 no banco traseiro permite um compartimento de bagagens flexível, enquanto gadgets de alta tecnologia e equipamentos tecnológicos foram concebidos paralelamente com o desenho do interior, tendo em vista incrementar o conforto a bordo. A nova caixa DCT, com selector de velocidade por detrás do volante, possui os mesmos atributos de uma caixa manual, incluindo baixo consumo de combustível e envolvência na condução, mas adicionando as vantagens de uma unidade automática tradicional, tais como elevados níveis de conforto (especialmente em cidade) e superior suavidade no engrenamento. Outros benefícios da caixa DCT incluem 5 a 6% de melhoria no consumo de combustível, bem como entre 3 e 7% de incremento na aceleração. O Veloster estará disponível para o mercado nacional com um motor a gasolina vivo e eficaz, concebido com materiais leves, oferecendo ao condutor uma condução viva e forte entrega de potência. O motor gamma de 1.6 litros GDI debita 140 cv às 6300 rpm e um binário de 167 Nm às 4850 rpm. Este modelo disponibiliza ainda dois tipos de transmissão diferentes: uma caixa de seis velocidades manual e a nova unidade de seis velocidades e dupla embraiagem DCT.



Categoria: On The Road

Bem vindo à Frontline

Iniciar sessão

Esqueceu-se da senha?

Criar Registo Neste Site

captcha image