TECNOLOGIA ESPACIAL

6 de Fevereiro de 2017

1NOVOS PROJETOS

Existem várias empresas a desenvolver projetos com recurso a tecnologia espacial, e o programa de incubação destas empresas apoia já 11 startups em Portugal. O objetivo é chegar às 30 empresas.

O Centro de Incubação de Empresas da Agência Espacial Europeia, em Portugal, liderado pelo Instituto Pedro Nunes (IPN), com sede em Coimbra, apoia, neste momento, 11 ideias de negócio que aplicam tecnologia utilizada no espaço. Este programa, que já ajudou a criar cinco novas empresas, tem mais uma prestes a ser criada, e até 2020 o objetivo é apoiar 30 startups. De entre os projetos que estão a ser incrementados, destacam-se a bracelete para golfistas, que mede o swing, de modo a que o atleta consiga melhorar a forma como pratica a modalidade, desenvolvida pela BlueCover; a utilização de drones para entregas em zonas remotas, uma aposta da Connect Robotics; ou a pulseira para monitorização de crianças e animais domésticos, que está a ser trabalhada pela Findster. Entre as novas empresas, existe também um projeto que pretende rentabilizar o tempo de espera em aeroportos, com a possibilidade de network com possíveis investidores ou clientes (Waterdog) e uma sonda mais simples e automatizada que poderá ser utilizada em ambientes aquáticos (Matereo).

Objetivo do programaDrone

Em Portugal este programa tem por objetivo apoiar seis empresas por ano, que recebem ajuda financeira para criar o seu primeiro protótipo. Cada projeto pode contar com 50 mil euros, que servem para estimular a entrada dos produtos ou serviços no mercado. Para além do apoio financeiro, os três centros envolvidos – IPN, Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto e DNA Cascais – prestam durante dois anos, a cada empresa, o serviço de incubação e o apoio técnico na criação de um modelo de negócio. Nas seis empresas que iniciaram a incubação no primeiro ano, destacam-se as propostas de aplicação do aerogel usado em satélites em situações de temperaturas elevadas na terra, como é o caso dos oleodutos; a utilização de dados de satélite em drones (aviões não tripulados) para recolha de indicadores mais eficientes para a agricultura; ou a utilização da tecnologia dos sensores termoelétricos de nanossatélites para a criação de energia com o movimento. O Centro de Incubação de Empresas da Agência Espacial Europeia em Portugal prevê apoiar 30 empresas, esperando que estas consigam gerar 240 postos de trabalho e angariar capital superior a 6,5 milhões de euros. De referir que algumas das empresas criadas no primeiro ano estão já a realizar vendas no mercado.



Categoria: Especial

Bem vindo à Frontline

Iniciar sessão

Esqueceu-se da senha?

Criar Registo Neste Site

captcha image