ROCK IN RIO

8 de Junho de 2016

_PAC9139MÚSICA PARA TODOS

A edição de 2016 do Rock in Rio Lisboa terminou com 47 mil pessoas a despedirem-se do festival ao som do DJ Avicii. Ao longo de cinco dias, passaram pelo Parque da Bela Vista 329 mil pessoas.

A Cidade do Rock recebeu na 7.ª edição em Lisboa 329 mil fãs vindos de diversos países, entre os quais Espanha, Reino Unido, Alemanha, França, Itália, Holanda, Irlanda, Noruega, Brasil, Suíça, Dinamarca, Estados Unidos, Emirados Árabes, Austrália e China. Boss, ou Bruce Springsteen, marcou a primeira noite desta edição com um espetáculo para 67 mil pessoas; os Queen+Adam Lambert protagonizaram um dos momentos mais marcantes da edição atuando para um público de 74 mil pessoas no segundo dia deste festival; numa estreia na Europa, os Hollywood Vampires atuaram para 56 mil pessoas; os Maroon 5 foram os donos da noite mais concorrida com 85 mil pessoas a assistir ao concerto; o DJ Avicii encerrou estes cinco dias de música com um espetáculo para 47 mil fãs. O Rock in Rio é o maior evento de música e entretenimento do mundo. Criado em 1985 e celebrando 30 anos de vida, é parte relevante da história da música mundial e soma, já, 17 edições, pelas quais passaram mais de 8,5 milhões de pessoas durante 101 dias, para assistir a 1498 atuações musicais de artistas como Queen, Elton John, The Rolling Stones, Justin Timberlake, Bruce Springsteen, Taylor Swift, Katy Perry, Stevie Wonder, Metallica, entre outros. Nascido no Rio de Janeiro, o Rock in Rio conquistou não só o Brasil, como também Portugal, Espanha e, em maio de 2015, os Estados Unidos, sempre com a ambição de levar todos os estilos de música aos mais variados públicos. Muito mais que um evento de música, o Rock in Rio pauta-se, também, por ser um evento responsável e sustentável, tendo assumido o compromisso, em 2001, através do projeto “Por Um Mundo Melhor”, de consciencializar as pessoas para o facto de pequenas atitudes no dia a dia serem o caminho para fazer do mundo um lugar melhor para todos.

Momentos inesperadosimage001

O Rock in Rio Lisboa ficou também marcado por alguns momentos inesperados: Ariana Grande cancelou a sua atuação 24 horas antes e teve de ser substituída pelo furacão Ivete Sangalo; os Korn só tocaram 25 minutos e até a chuva deu um ar da sua graça. Quanto a Ariana Grande, a sua ausência deveu-se a uma “forte gripe” que impediu a cantora de se apresentar pela primeira vez aos fãs portugueses. Já no caso dos Korn, uma falha no equipamento da banda e a intransigência quanto à utilização do equipamento disponibilizado pela organização ditaram a parca atuação da banda. A organização do festival está ainda a decidir se vai ou não processar a banda. Mesmo perante estes contratempos, Roberta Medina faz um balanço muito positivo desta edição e promete voltar em 2018 com novidades, nomeadamente na data do festival que poderá vir a ter início só em junho.



Categoria: Especial

Bem vindo à Frontline

Iniciar sessão

Esqueceu-se da senha?

Criar Registo Neste Site

captcha image