MUDE

9 de Outubro de 2015

MUDE FAC ©Luísa FerreiraA CASA DO DESIGN

Um espaço que permite o encontro e o debate em torno do design, mas que também permite experimentação e criatividade, para apresentar as propostas de novos criadores, promovendo novas pesquisas e gerando diálogos com as artes visuais e a arquitetura, o cinema e a dança, a música e a ciência. É assim o Museu do Design e da Moda.

 

O Museu do Design e da Moda, ou MUDE, é uma casa para todos os tipos de design. Apresentando uma programação temporária e atividades educativas, o museu desenvolve-se com uma obra em progresso. Longe da ideia clássica de um museu, a sua arquitetura singular – um cubo branco – afirma uma identidade muito própria. Nos próximos anos, o museu será um lugar em permanente mutação, com as atividades a ocupar e mudar os oito andares, de acordo com as obras arquitetónicas. Por outras palavras, o museu foi concebido como um projeto dinâmico, experimental, aberto e inovador, que visitantes locais e estrangeiros podem seguir. Este museu representou um impulso relevante para a reinvenção da zona em que se insere, uma força ativa pulsando pela artéria principal da cidade, no coração da Baixa Pombalina, contribuindo para o seu muito desejado e tão necessário trabalho de requalificação, bem como para a cultura de criatividade e inovação que cada vez mais caracteriza as nossas cidades. Estamos a falar de um museu que está a gerar uma rede com instituições de cultura, universidades, empresas, ateliers, lojas e museus, integrando a comunidade de designers, artistas, arquitetos e curadores no desenvolvimento de um novo centro urbano de cultura. É por este motivo que tem o nome MUDE, aludindo à “transformação” em português, realçando o desejo do museu de redesenhar o conceito de um museu de design e procurando novas formas de gestão, comunicação e desenvolvimento urbano.

Coleção Francisco Capelo2F1C1987©SG+FG

A coleção Francisco Capelo é um espólio de excelência pelos criadores representados e pela qualidade e importância dos objetos reunidos, possuindo uma singular coerência e unidade intrínseca resultante da estreita relação e complementaridade em que foram pensados os dois acervos (moda e design). Mobiliário e pequenos objetos utilitários refletem os principais movimentos e tendências do design, enquanto o vestuário, calçado e acessórios tecem a história da moda durante o mesmo período. A 18 de dezembro de 2002, a coleção Francisco Capelo foi adquirida pela Câmara Municipal de Lisboa com a obrigação de constituir um novo equipamento museológico dedicado ao design, salvaguardando este património de excelência. A aquisição pública deste importante acervo foi possível graças ao tratamento especial e ao gosto que o colecionador sempre manifestou em que a coleção permanecesse nesta cidade. O MUDE pode assim mostrar o seu rico acervo de mais de 2500 objetos e fê-lo sem esperar pelas obras de adaptação definitiva do espaço às novas funções museológicas.



Categoria: Especial

Bem vindo à Frontline

Iniciar sessão

Esqueceu-se da senha?

Criar Registo Neste Site

captcha image