MU.SA

4 de Outubro de 2017

VIAGEM PELA ARTE FIGURATIVA

Propondo uma viagem pela arte figurativa existente na Coleção Municipal de Arte Contemporânea, através da pintura e da escultura produzidas por artistas portugueses e estrangeiros residentes em Portugal, mas não só, o MU.SA tem uma programação polivalente e plural, com obras de arte que abordam temas e técnicas diferenciadas de autores de várias gerações.

Apresentando trabalhos de artistas marcantes no panorama concelhio, nacional e internacional, o MU.SA é um espaço museológico que se situa no antigo Casino, junto ao Centro Cultural Olga Cadaval. O espaço apresenta ainda uma zona para fotografia, uma Livraria Municipal e uma Galeria Municipal, onde são apresentadas exposições temporárias de artistas nacionais e estrangeiros. Em termos da sua coleção, destaque para os trabalhos de Emílio de Paula Campos (1884-1943). Professor de profissão, escultor, aguarelista e colecionador de arte por vocação, obteve a sua formação artística na Escola António Arroio, em Lisboa. Em 1973 o espólio artístico que lhe pertencia foi recolhido pelo seu sobrinho, o arquiteto Francisco Castro Rodrigues (1920), e oferecido à Câmara Municipal de Sintra. As criações de Dorita Castel-Branco (1936-1996), uma escultora que se formou na Faculdade de Belas-Artes de Lisboa e que está representada em coleções nacionais e internacionais, dividindo-se entre o figurativo e o abstrato, abrangendo materiais tão diversos como o poliminium, o mármore, o poliéster ou o bronze, fazem também parte do espólio do museu. Esta artista destacou-se na escultura, na tapeçaria, no desenho e na medalhística, área que lhe valeu diversos prémios em Portugal e no estrangeiro. Em sua homenagem, a Câmara Municipal de Sintra instituiu o Prémio Medalha Contemporânea Dorita Castel-Branco. Ainda em termos de coleção, destacam-se os trabalhos que evidenciam a paisagem-imagem de Sintra, que tem sido alvo de atenção por parte de viajantes e residentes desde tempos distantes. A partir da segunda metade do século XVIII, e em particular no século XIX, a pequena vila e a serra que a acolhe afirmam-se como paradigma maior do movimento romântico europeu e paisagem cultural de grande valor estético, articulando harmoniosamente edificações centenárias e natureza, classificadas pela UNESCO na categoria de Paisagem Cultural e que o MU.SA convida os seus visitantes a contemplar.

 

Continuar a viagem

O MU.SA propõe também uma viagem pela arte figurativa existente na Coleção Municipal de Arte Contemporânea, através da arte da pintura e da escultura produzida, em particular a partir de meados do século XX, por artistas portugueses e estrangeiros a residir em Portugal. A Arte Abstrata faz também parte das propostas apresentadas. A Abstração, ou seja, a realidade composta por manchas de cor, formas, linhas ou superfícies, que parecem esquivar-se à expressão do conhecido, alcançou particular destaque nas artes visuais do século XX. A Coleção Municipal de Arte Contemporânea da Câmara Municipal de Sintra apresenta no MU.SA algumas das suas obras mais emblemáticas que pretendem provocar e desinquietar o observador, convocando-o para uma viagem exclusiva, desafiando os seus significados. Emergindo como uma técnica libertadora, que permitiu catapultar as artes visuais para novos paradigmas estéticos, a fotografia é também apresentada no MU.SA. Sintra, pelos seus poderosos cenários de incontornável beleza cultural, natural e paisagística, constituiu-se como musa inspiradora, transformando-se num dos locais mais fotografados de Portugal. No MU.SA a fotografia encontra-se representada na obra de artistas portugueses e estrangeiros, contemplando trabalhos que abrangem desde a paisagem sintrense às vanguardas estéticas mais conceptuais.



Categoria: Especial

Bem vindo à Frontline

Iniciar sessão

Esqueceu-se da senha?

Criar Registo Neste Site

captcha image