DIAS DA MÚSICA

11 de Maio de 2015

_RC70953_rita carmo“LUZES, CÂMARA… MÚSICA!”

Os “Dias da Música” voltaram ao Centro Cultural de Belém com a presença de mais de 22 mil espetadores. A programação, orçada em 500 mil euros, foi constituída por cinco conferências, vários workshops e 64 concertos, envolvendo cerca de 1700 músicos. Para 2016, o Centro Cultural de Belém propõe “Uma volta ao mundo em 80 concertos”.

 

Terminou a nona edição do evento “Dias da Música” e, segundo a organização, o balanço é positivo, tendo sido alcançada uma taxa de ocupação a rondar os 89%. Segundo nota da organização, durante os três dias da iniciativa, que este ano teve como tema “Luzes, Câmara… Música!”, 35 dos 64 concertos em sala tiveram lotação esgotada. A temática permitia um enorme leque de possibilidades e de itinerários, quer através da história da música, quer da história do cinema, bem como uma ampla diversidade de géneros e estilos: desde as obras escritas propositadamente para o grande ecrã às que nasceram noutros contextos e foram depois incorporadas no cinema. De referir que para além dos concertos em sala, fizeram também parte da programação 11 concertos informais, seis conferências e ainda 19 sessões de cinema. O cartaz deste ano incluiu entre outros, a Big Band Júnior, o pianista Mário Laginha, a Camerata Atlântica, o violinista Bruno Monteiro acompanhado pelo pianista João Paulo Santos, o Ensemble Darcos, os acordeonistas Gonçalo Pescada e Paulo Jorge Ferreira e o Grupo Vocal Olisipo. Os “Dias da Música” contaram também com iniciativas dedicadas às crianças, como o “Mini Dias da Música”, no âmbito do qual mais de 600 crianças assistiram a sete concertos, nos quais atuaram 186 alunos de música.

Alinhamento de topoCCB_RC72674_rita carmo

No sábado, o trio formado por Vera Morais (flauta), Mário Franco (contrabaixo) e Francisco Sassetti (piano) recriou fados e canções dos primeiros filmes sonoros portugueses, desde A Severa e Gado Bravo, com música de Frederico de Freitas e Luís de Freitas Branco, até comédias tão célebres como Aldeia da Roupa Branca, Maria Papoila e O Costa do Castelo. Em contrapartida, no domingo, os espetadores puderam assistir a um excelente exemplo de sincronização, bem exemplificativa do papel crucial que a música tem no cinema mudo e no cinema em geral: a banda sonora criada pelo pianista João Paulo Esteves da Silva e pelo contrabaixista Carlos Bica para a genial comédia The Navigator, de Buster Keaton. O resultado foi exemplar na forma como traduziu a narrativa, o suspense, os efeitos cómicos, dramáticos e descritivos (como a tempestade) ou a sonorização dos pequenos detalhes com sugestivas intervenções do contrabaixo, ao mesmo tempo que constituiu um todo coerente.

CCB_RC72673_rita carmoFinal estrondoso

Os “Dias da Música” terminaram em festa com um dos maiores êxitos de sempre – a Marcha Imperial e Tema da Guerra das Estrelas, de John Williams. Para o ano, o tema proposto pelo novo presidente do CCB, António Lamas, e pelo consultor para a área da música, André Cunha Leal, é “Uma volta ao mundo em 80 concertos”, estando previstas várias parcerias e um alargamento às músicas dos vários continentes.



Categoria: Especial

Bem vindo à Frontline

Iniciar sessão

Esqueceu-se da senha?

Criar Registo Neste Site

captcha image

%d bloggers like this: