JERVIS PEREIRA

20 de Dezembro de 2011

“PROCURAMOS ACONSELHAR OS NOSSOS CLIENTES COM RIGOR E IMPARCIALIDADE”

No mercado há já 22 anos, a Jervis Pereira orgulha-se dos seus princípios éticos de confidencialidade, transparência, honestidade e independência. Para esta agência de comunicação e marketing, que é liderada por Rosário Louro, o mais importante é poder prestar aos seus clientes “serviços com base em estratégias de comunicação integradas”, uma vez que o marketing e a comunicação são “áreas cruciais para o desenvolvimento das empresas”.

 

A Jervis Pereira existe há quanto tempo?

A Jervis Pereira foi constituída em 1989, existindo por isso há 22 anos. A designação social da empresa é o apelido de família dos sócios fundadores, para quem este nome reflecte um posicionamento e um conjunto de princípios que se pro­puseram preservar.

Até 1997 actuámos exclusivamente na área da consultoria económica, tendo desenvolvido muitos projectos para o sec­tor agro-alimentar, área de negócio à qual os fundadores já estavam ligados. Depois demos os primeiros passos na con­sultoria em marketing e comunicação e alargámos a nossa actividade a um novo segmento de mercado – o turismo – que viria a ocupar um lugar determinante no core business futuro da empresa.

Em 2001, fomos desafiados por uma empresa de comunica­ção espanhola para criarmos, em conjunto, uma consultora de comunicação e marketing em Portugal. Durante algum tempo os serviços de consultoria económica coexistiram em simultâneo com os de comunicação e marketing, mas a partir de 2004 focámo-nos definitivamente nos segundos.

Como surgiu a ideia de criar uma agência de co­municação e marketing? Já estava ligada a esta área ou era uma paixão?

Creio que foi uma paixão. Durante muitos anos a minha re­lação com o marketing e a comunicação foi a de mera cliente. São áreas que sempre considerei cruciais para o desenvol­vimento das empresas, mas nunca pensei objectivamente envolver-me nesse negócio. No entanto, quando a oportu­nidade surgiu, nem hesitei. O desafio era entusiasmante e permitia-nos penetrar em força num segmento de mercado que nos interessava particularmente, o turismo.

A comunicação é um negócio interessante?

A comunicação é uma área de negócio muito interessante, variada e em permanente renovação. Em Portugal a comu­nicação foi sempre confundida com a assessoria mediática porque a grande maioria das agências de comunicação foi fundada por ex-jornalistas. Esta visão da comunicação é mui­to restritiva e, na minha opinião, não cobre de todo as neces­sidades de comunicação das empresas. O facto de ter sido cliente deste tipo de agências durante muitos anos deu-me uma perspectiva diferente do tipo de serviços que servem às empresas. (…)



Categoria: Dossier

Bem vindo à Frontline

Iniciar sessão

Esqueceu-se da senha?

Criar Registo Neste Site

captcha image